INFORMAÇÕES SOBRE SAÚDE, ODONTOLOGIA E SEGUROS.
Loading...

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 8 de maio de 2012

Um novo olhar sobre a cárie

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 88% da população brasileira têm cárie, colocando o Brasil entre os países com mais problemas bucais. Mesmo com ações cada vez mais atuantes do Programa Brasil Sorridente, a Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, realizada em 2010, apontou grande índice da doença no País. Para diminuir esse percentual, a Colgate, em parceria com a ABO Nacional, lançou o Capítulo Brasil da Aliança para um Futuro Livre de Cárie, uma iniciativa global que já está presente em vários países da América Latina, como Colômbia, Venezuela e México. O evento aconteceu durante o 30° Ciosp e contou com a presença de um de seus idealizadores, Nigel Pitts, um dos maiores especialistas em cárie no mundo; Gilberto Pucca Jr., coordenador nacional de Saúde Bucal do Ministério da Saúde e presidente honorário da Aliança Global no Brasil; Newton Miranda de Carvalho, presidente da ABO Nacional; Marcelo Bönecker, presidente da Aliança Global no Brasil; Adriano Albano Forghieri, presidente da APCD; Patricia Bella Costa, gerente de Relações Profissionais-Marketing da Colgate, entre outras autoridades da área odontológica. Durante o lançamento da iniciativa, os líderes nacionais assinaram uma declaração nacional se comprometendo a atingir as metas da Aliança Global no Brasil. “Essa união e comprometimento é fundamental para melhorar a saúde bucal da população brasileira. O Brasil Sorridente tem garantido acesso a atendimentos odontológicos como não se via no Brasil. Iniciativa como a Aliança irá ajudar a melhorar ainda mais esses números e erradicar a cárie até 2026”, disse Newton Miranda de Carvalho. Para Gilberto Pucca Jr, “devemos nos comprometer com o desenvolvimento de sistemas em nível nacional que estimulem a saúde pública e comunidades clínicas para trabalhar em conjunto com o objetivo de enfrentar a doença. Juntos, podemos educar o povo e estimular líderes em Odontologia e saúde pública para agir em prol da erradicação da cárie”, explicou. Aliança Global A Aliança Global reúne especialistas em saúde pública e bucal de todo o mundo que buscam elevar o patamar de entendimento da cárie como problema de saúde pública – diretamente relacionada com doenças crônicas, como diabetes, e doenças cardiovasculares –, definir uma nova abordagem evolutiva da doença e promover ações integradas com outras especialidades para o seu combate efetivo. A carta de intenções da Aliança Global segue as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) e a carta da Aliança no Brasil assinada durante o lançamento tem os seguintes objetivos de longo prazo: •Em 2015, 90% das faculdades e associações odontológicas no País deverão ter incluído e promovido a "nova" abordagem da cárie para melhorar seu manejo e prevenção. •Em 2020, os membros regionais da Aliança para um Futuro Livre de Cárie deverão estar integrados, atuando localmente na implantação da prevenção, manejo e monitoramento adequados da cárie. •Toda criança nascida a partir de 2026 deverá ser livre de cárie durante toda a sua vida. Durante o lançamento do Capítulo Brasil da Aliança, o especialista Nigel Pitts explicou que o site da Aliança é um importante instrumento para que os profissionais e a população em geral conheçam o trabalho e o que pode ser feito para erradicar a cárie no mundo. “O site serve para que os cirurgiões-dentistas entendam as ferramentas de prevenção e gestão da cárie. Ele poderá ser usado como suporte para o desenvolvimento de um programa de prevenção de saúde oral. A intenção é ainda oferecer materiais que facilitarão o sucesso do programa e que ajudarão o público-alvo a alcançar uma saúde oral ideal. No portal há todas as informações, além de materiais de divulgação e esclarecimento”, explicou. “O apoio do governo é fundamental para que cheguemos a um Brasil sem cárie. Algumas ações, como fluoretação da água e do sal, entre muitas outras, são fundamentais à participação de todas as esferas do governo”, completou. Entre os profissionais engajados com a causa estão representantes de diversos setores de saúde bucal e pública, incluindo conselhos de Odontologia, organizações nacionais de Odontologia, instituições de ensino e especialistas da área de saúde bucal. Segundo dados do SB Brasil 2010, há desigualdade no índice de cárie, sendo que as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste apresentam maior prevalência do que regiões Sul e Sudeste. Além disso, notou-se que em regiões de pobreza dentro de uma mesma cidade apresentam maior prevalência de cárie. Contraste que demonstra um importante fator social envolvido com a doença e relacionado ao acesso à educação bucal e estratégias para controle, caracterizando a cárie como doença biossocial. “Essas pessoas enfrentam um problema que pode ser evitado. A cárie merece mais atenção e precisa ser encarada como um problema sério de saúde", declarou o presidente da Aliança Global no Brasil e titular de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (Fousp), Marcelo Bönecker. E o especialista completou afirmando que o nível de recursos e de intervenção, tanto na saúde pública quanto sob a perspectiva clínica, é ainda pouco abrangente no Brasil. Livre da cárie A Aliança Global é formada por um grupo mundial de especialistas em Odontologia e saúde pública que defende a importância da cárie ser entendida como uma doença contínua que requer prevenção e manejo abrangentes, para que sua progressão seja interrompida no mundo e se possa caminhar em direção a um Futuro Sem Cárie. O grupo acredita que a criação de uma ação global colaborativa é essencial para estimular que líderes mundiais e demais interessados reconheçam a cárie como uma doença evolutiva, que pode ser controlada com a implementação de ações preventivas e diagnóstico precoce. A Aliança Global também trabalha para organizar e participar de ações voltadas ao tratamento adequado da cárie, com o objetivo de influenciar positivamente a solução do problema. A Aliança Global por um Futuro Livre de Cárie foi criada em colaboração com um painel mundial de especialistas em Odontologia e saúde pública. A iniciativa é patrocinada pela Colgate-Palmolive que visa a melhoria da saúde bucal, por meio de suas parcerias com profissionais de Odontologia, governos e agências de Saúde Pública e da gestão do projeto global Sorriso Saudável Futuro Brilhante, voltado para educação infantil em saúde bucal. A Aliança Global também busca parcerias com líderes globais e outros influenciadores em nível regional e local – incluindo líderes de países e comunidades, profissionais de saúde e Odontologia, comunidades de política pública e educação e a população. Fonte: Associação Brasileira de Odontologia

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Remoção e extração de dentes


Por que os dentes são extraídos?
Os dentes são extraídos por vários motivos:

Uma cárie muito profunda no dente;

Uma infecção que destruiu uma grande porção do dente ou do osso adjacente;

Não existe espaço suficiente para todos os dentes em sua boca.

Muitos dentistas recomendam a extração de dentes inclusos que nasceram apenas parcialmente. As bactérias podem se instalar em volta de um dente que nasceu parcialmente, causando uma infecção, a qual pode se estender para o osso adjacente e tornar-se um problema ainda mais sério. Os dentes inclusos continuam tentando atravessar o tecido da gengiva mesmo quando não há espaço suficiente para acomodá-los. A constante pressão causada por esta tentativa de erupção pode acabar afetando as raízes dos dentes vizinhos. Remover um dente incluso pode evitar uma infecção, danos aos dentes e osso adjacentes, além de evitar um sofrimento futuro.


Como são extraídos os dentes?
Antes de extrair um dente, seu dentista fará uma revisão completa no seu histórico médico e dentário e providenciará as radiografias necessárias.

As radiografias revelam o comprimento, formato e posição do dente e osso adjacente. Com base nessas informações, seu dentista poderá avaliar o grau de dificuldade do procedimento e decidir se deverá encaminhá-lo para um especialista, no caso, um cirurgião-dentista.

Antes da extração, a área em volta do dente será anestesiada. Os dentistas utilizam um anestésico local para amortecer a área da boca onde a extração ocorrerá.

Na extração simples, uma vez que a área é anestesiada, o dente é descolado do osso com um tipo de alavanca, e então extraído com um fórceps dentário. Seu dentista também poderá suavizar e remodelar o osso que sustenta o dente. Terminada esta etapa, ele poderá optar por fechar a área com alguns pontos cirúrgicos.

O que esperar após uma extração?
É essencial manter a área limpa e prevenir infecções logo após a extração de um dente. Seu dentista pedirá que você morda levemente um pedaço de gaze seca e esterilizada, que você deverá manter no local durante 30 a 45 minutos, a fim de estancar o sangramento enquanto o sangue não coagula.

Nas 24 horas seguintes, você não deve fumar, enxaguar a boca vigorosamente ou limpar os dentes próximos ao local da extração

Pode-se esperar um pouco de dor e desconforto logo após uma extração. Em alguns casos, seu dentista poderá prescrever-lhe um analgésico.

Colocar gelo sobre a face durante 15 minutos também pode ajudar. Deve-se, também, beber água com um canudo, limitar atividades bruscas e bebidas quentes. No dia seguinte à extração, seu dentista pode sugerir que você comece a lavar sua boca gentilmente com água morna e sal (não engula a água).

Em circunstâncias normais, o desconforto deve diminuir num período de três dias a duas semanas. No caso de dor intensa ou prolongada, inchaço, sangramento ou febre, ligue para seu dentista imediatamente.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Novo tipo de dengue aumenta risco de epidemia da doença na Bahia


A Bahia pode sofrer uma epidemia de dengue, segundo dados divulgados pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) nesta terça-feira (22). Os primeiros casos do tipo 4 da doença foram confirmados e a população inteira está vulnerável - mesmo quem já sofreu dos outros tipos de dengue pode voltar a ter a doença e, por isso, o risco de epidemia é maior.

Os dois casos do novo tipo de dengue foram detectados no dia 15 desse mês. As vítimas, dois homens de 27 e 30 anos de idade, já estão curadas e não precisaram de internação. Os dois residiam em Tancredo Neves e Cosme de Farias. Estes foram o primeiro caso no estado - no Brasil, casos foram registrado em Roraima, Piauí e Amazonas.

Segundo a Sesab, as ações de prevenção serão ampliadas em todo o estado com visitas domiciliares, faxinaçõs, aumento da campanha publicitária e demais ações contra a dengue. Desde que os casos foram confirmados no país, as visitas domiciliares já haviam sido intensificadas - 80% das residências de Salvador foram visitadas.

Em 2011, foram notificados 9.584 casos até o dia 12 de março - uma redução de 17,9% em relação ao mesmo período de 2010, quando foram registrados 11.679 casos. Já do caso da mais grave, a dengue hemorrágica, foram confirmados 28 casos, três deles com vítimas fatais - em Jequié, Madre de Deus e Porto Seguro.

Em todo o estado, considerando a vulnerabilidade para a dengue do tipo 1, 92 municípios da Bahia foram classificados como "risco muito alto" e 106 como "alto risco", incluindo Salvador. Na capital, os bairros com maior risco são Liberdade, Cabula e Subúrbio.


(Correio da Bahia)

terça-feira, 15 de março de 2011

ATM: Disfunção da Articulação


O que é ATM?
D-ATM, ou disfunção da articulação temporomandibular, é uma alteração da articulação que liga o maxilar à mandíbula que pode, por exemplo, não estar funcionando adequadamente. Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, de ligamentos, de discos e de ossos é chamado de D-ATM. Geralmente, a D-ATM dá a sensação ao indivíduo acometido de que sua mandíbula está saltando para fora, fazendo um estalo e até travando por um instante. A causa exata desta disfunção, em geral, é impossível de ser identificada.



Quais os sintomas da D-ATM?
Disfunções de ATM apresentam muitos sinais e sintomas. É difícil saber com certeza se você tem D-ATM, porque um destes sintomas ou todos eles podem também estar presentes em outros problemas. Seu dentista poderá ajudá-lo a fazer um diagnóstico preciso, através de uma história médica e dentária completa, um exame clínico e de radiografias adequadas.

Alguns dos sintomas mais comuns de D-ATM são:
Dores de cabeça (freqüentemente parecidas com enxaquecas), dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos;
Um "clique" ou sensação de desencaixe ao abrir ou fechar a boca;
Dor ao bocejar, ao abrir muito a boca ou ao mastigar;
Mandíbulas que "ficam presas", travam ou saem do lugar;
Flacidez dos músculos da mandíbula;
Uma brusca mudança no modo em que os dentes superiores e inferiores se encaixam.


Como tratar a D-ATM?
Embora não exista uma cura para a D-ATM, existem diversos tratamentos que você pode seguir para diminuir consideravelmente os sintomas. Seu dentista pode recomendar um ou mais dos seguintes tratamentos:

Tentar eliminar a dor e o espasmo muscular através da aplicação de calor úmido ou através de medicamentos como relaxante muscular, aspirina ou outros analgésicos comuns, ou ainda antiinflamatórios;
Reduzir os efeitos prejudiciais de travamento ou rangido, por meio de um aparelho, algumas vezes chamado de placa de mordida ou "splint". Este aparelho, feito sob medida para sua boca, se encaixa nos dentes superiores e ao deslizar sobre os dentes inferiores impede estes dentes inferiores de ranger contra os dentes superiores;
Aprender técnicas de relaxamento para ajudar a controlar a tensão muscular na mandíbula. Seu dentista pode sugerir que você procure condicionamento e aconselhamento para ajudar a evitar o estresse;
Quando partes da mandíbula são afetadas e os tratamentos não surtiram efeito, uma cirurgia na articulação pode ser recomendada.

segunda-feira, 14 de março de 2011

1, 2 ou 3 litros: aprenda a beber água na quantidade ideal


A água é a bebida mais consumida em todo o mundo. Barata e livre de calorias, ela é essencial para a manutenção da beleza e para o bom funcionamento do organismo. Muita gente, no entanto, não sabe qual deve ser a quantidade correta de água a ser ingerida diariamente. Afinal, este cálculo deve ser personalizado para que não aconteça um excesso, que poderia ser prejudicial à saúde.

Isabel Jereissati, nutricionista funcional e docente da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), explicou que os alimentos também são boas fontes de água e devem ser levadas em conta. "Quem come muitas verduras e frutas, por exemplo, pode necessitar da ingestão de menos água, enquanto aqueles que ingerem muito sal vão precisar de uma maior quantidade do líquido", declarou, lembrando que cerca de 65% do nosso organismo é constituído de água.

A função deste líquido em nosso organismo é bem ampla. Segundo Luciana Carneiro, nutróloga e membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e da Associação para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), da capital fluminense, a água ajuda na filtração renal, na eliminação das toxinas da alimentação, além de hidratar pele, cabelo e intestino, melhorando seu funcionamento.

Nada de exagerosBeber água demais pode fazer mal à saúde. Isabel contou que o excesso de líquido pode levar a um quadro de confusão mental e hiponatremia, que é a baixa concentração de sódio no sangue. Para não errar a mão e saber quantos copos consumir, a nutricionista explicou que se deve levar em consideração a água presente nos alimentos e também dados pessoais, como idade, peso, nível de atividade física, clima, alimentação, função renal, grau de hidratação, "este é descoberto por meio de exame de bioimpedância, aparência da pele e cor da urina", como explicou a nutricionista, entre outros exames. Também é possível fazer um cálculo simples: "um adulto saudável pode tomar cerca de 35 ml de água por quilo de peso. Por exemplo, um indivíduo de 70 kg deveria ingerir 2450 ml de água pura por dia", ensinou a nutróloga.

Luciana também tranquiliza: "para acontecer uma sobrecarga renal ou um edema cerebral por excesso de água, no entanto, a pessoa precisa consumir cerca de sete litros por dia, algo muito além dos dois litros estipulados como padrão geral".

Há pessoas que devem restringir o consumo de água devido à problemas de saúde. "Aqueles que sofrem de doenças cardiovasculares, como insuficiência cardíaca congestiva, e doenças renais, como insuficiência renal aguda, podem ser indicados a reduzir o consumo de líquidos para não sobrecarregar o coração, que bombeia o sangue, e o rim, que filtra o sangue", orientou Isabel.

Por outro lado, idosos e crianças são mais suscetíveis à desidratação. Os mais velhos, por sentirem menos sede, terem que tomar diuréticos, falta de mobilidade, entre outros. Os pequenos são mais ativos e não têm controle da sede, dependendo de outra pessoa para ter acesso ao líquido.

Qual água escolherIsabel falou que, para o organismo, não há diferença entre a água mineral e a água filtrada, pois ambas possuem os mesmos eletrólitos como sódio, cálcio e potássio, em concentrações diferentes. Luciana explicou que, apesar de a água mineral possuir pH alcalino e menos oligominerais, como o magnésio, a água filtrada, quando tratada, pode ser ingerida sem problemas, pois possui flúor e ajuda a prevenir as cáries.

"É importante dar atenção aos alimentos e bebidas que nos fazem desidratar, como o café, o chá mate, refrigerantes de cola, embutidos, molho de soja e outros alimentos industrializados ricos em sódio", concluiu Isabel.



(Terra Notícias)

quinta-feira, 10 de março de 2011

Piercing de língua e falhas dentais


Pais e adolescentes fiquem atentos: pesquisadores descobriram que pessoas que usam piercing de língua com botões metálicos podem não apenas estar colocando a saúde bucal em risco, como também podem desenvolver problemas ortodônticos.

Um estudo da Faculdade de Odontologia da Universidade de Buffalo, Nova York, acompanhou uma mulher de 26 anos que havia desenvolvido um diastema (espaçamento entre os dentes) durante um período de sete anos porque o botão do seu piercing de língua estava forçando-se para cima e contra os dentes anteriores. Fotos que ela forneceu mostraram que, antes de colocar o piercing na língua, não havia este espaço entre os dentes.

A única solução para o problema seria o uso prolongado de um aparelho ortodôntico fixo. “É um princípio básico da ortodontia que a força, ao longo do tempo, movimenta os dentes”, diz o pesquisador Dr. Sawsan Tabbaa, professor assistente da Faculdade de Odontologia da UB. Dr. Tabbaa diz que um estudo anterior da Faculdade de Odontologia da UB com alunos de ensino médio mostrou que um barbell de língua (tipo de piercing) poderia levar a sérios danos quando os pacientes empurravam o botão metálico contra os dentes superiores anteriores, um hábito comumente referido entre os alunos como “brincar”.

“Isso acontece numa porcentagem muito alta dos casos”, diz Dr. Tabbaa. “O barbell nunca é removido porque a língua é tão vascularizada que a remoção da peça pode resultar em cicatrização da abertura na língua, portanto faz sentido que a força constante do barbilhão contra os dentes – todos os dias, sem folga – irá movê-los ou afastá-los”.

Outros riscos dos piercings de língua incluem dor, inchaço, infecção, aumento do fluxo salivar, lesão ou recessão gengival, dentes e restaurações lascadas ou danificadas, dificuldade em falar ou mastigar, hemorragias e até mesmo abscesso cerebral. Pessoas que usam botões linguais também correm o risco de engolir ou aspirar a jóia. Ornamentos bucais podem também comprometer a qualidade de radiografias e o metal pode causar sensibilidade pulpar.

(ADA - Associação Dental Amerinana)

sexta-feira, 4 de março de 2011

Comunicado de Recesso


Informamos que devido ao feriado de Carnaval, estaremos entrando em recesso e retornaremos na próxima quarta-feira dia 09/03/11 apartir das 13:00h

A Aliança Seguros deseja a todos um ótimo feriado!!!

Feriado (?!) Não saia sem o seu seguro!


Viaje tranquilo, faça seu seguro na Aliança Seguros!!
Ligue e peça uma cotação: (75) 3221-2837

Aliança Seguros
Confiança e Segurança, Sempre!


(Se for dirigir, por favor, NÃO BEBA!!)

Saúde Começa pela boca!


Aprenda as técnicas corretas de escovação e de como usar o fio dental.
Devemos ter em mente que a prevenção é a maneira mais econômica, menos dolorida e menos preocupante de se cuidar da saúde bucal.
Cuide-se! É simples,fácil e rápido!

terça-feira, 1 de março de 2011

Gravidez e os cuidados com a higiene bucal


Uma mulher grávida sabe que durante a gestação alguns cuidados devem ser tomados. Evitar alguns alimentos, que são fontes de altas calorias, e cuidar da saúde do corpo é a melhor forma para garantir uma gravidez tranquila para a mamãe e para o bebê. Mas, e a saúde bucal? O que fazer para que a futura mamãe possa garantir uma boa saúde ao filho desde a barriga cuidando da boca? Quem responde a essas dúvidas é a Dra. Fátima Caldeira, do SPA Dental, localizado em São Paulo.


A profissional começa dizendo que diferentemente do que muita gente pensa a gestante pode sim receber tratamento odontológico. “Em qualquer idade gestacional, ela poderá ser atendida, embora o segundo trimestre (3º ao 6º mês de gestação) seja o momento mais oportuno, porque nessa fase, ela se encontra num período de maior estabilidade”, diz Dra. Fátima.


A especialista também lembra que durante a gravidez ocorrem algumas alterações que podem levar a problemas dentais ou gengivais. Os mais comuns são: gengivite gravídica, devido ao aumento dos hormônios progesterona e estrógeno; a presença de náuseas e vômitos frequentes pode afetar o esmalte dos dentes, devido ao aumento da acidez bucal e também o que é conhecido como “secura de boca”. “Esse problema muito comum durante a gravidez, conhecido também como Xerostomia, pode ser amenizado através do aumento do consumo de água, balas ou gomas de mascar sem açúcar”, explica.


Sobre o uso da anestesia, a doutora diz que não existem riscos, desde que o efeito dos anestésicos e as alterações que ocorrem durante a gravidez sejam de conhecimento do dentista responsável pelo tratamento. “As gestantes podem apresentar uma elevação da pressão arterial e isso deve ser levado em conta. O dentista junto com o ginecologista deverá escolher o anestésico apropriado”.


E quando as mães são orientadas a terem uma alimentação balanceada não é à toa. A gestante tem que consumir produtos constituídos por diferentes grupos de alimentos, entre eles, carne, frutas, legumes, verduras, cereais, leite e seus derivados. “A saúde bucal da mãe é muito importante, pois segundo estudiosos da Universidade do Alabama, nos Estados Unidos, uma vez na circulação as bactérias que vivem num sorriso mal conservado disparam reações químicas que apressam o parto”, diz. “Se os cálculos forem precisos, uma gengivite aparentemente simples consegue aumentar em até sete vezes as chances de uma mãe ganhar um bebê prematuro”, completa a especialista.


A doutora Fátima também lembra que a saúde bucal da mãe tem tudo a ver com a saúde bucal da criança. Os pais, particularmente a mãe, determinam muito o comportamento que os filhos adotarão para ter uma higiene bucal adequada, pois é a partir do 4º mês de vida intra-uterina que começa a se desenvolver o paladar do bebê. Portanto, a alimentação da gestante será responsável pelas preferências alimentares da criança após o nascimento.


E não esqueça: Para se evitar problemas dentais durante a gravidez é necessário uma higiene bucal apropriada e isso só será possível com o acompanhamento de um profissional.


Dra. Fátima Caldeira

Cuidados simples evitam acidentes que podem deixar graves sequelas


Muitas pessoas aproveitam o verão para descansar e curtir. Mas o que muitos se esquecem de levar na bagagem na hora de pegar a estrada são os cuidados que devem tomar para aproveitar a merecida folga. O resultado são acidentes que poderiam ser evitados com atitudes simples, como a redução de bebida alcoólica.

A combinação perigosa para quem vai pegar no volante já ficou nacionalmente conhecida pelo slogan “Se beber, não dirija”. Mas o consumo da cerveja ou da tradicional caipirinha também pede atenção redobrada em outras situações que, se não matam, deixam sequelas para o resto da vida.

É o caso dos mergulhos em água rasa, sejam em rios, lagoas ou piscinas. “Por estarem longe do estresse diário, as pessoas acabam abusando e quando mergulham de cabeça em espaços com pouca profundidade podem fraturar a coluna e lesionar a medula, levando ao chamado traumatismo raquimedular. Essa situação pode trazer comprometimentos sérios, com dificuldade de movimento dos braços e ou pernas”, destaca o neurocirurgião do hospital João XXIII, referência estadual no atendimento às vítimas de trauma, Jarbas Carvalhais.

Nessa época do ano, de acordo com o médico, o atendimento de traumas desse tipo se torna comum no hospital. Há 16 anos o neurocirurgião trabalha na unidade e, infelizmente, sempre atende esses casos que poderiam ser perfeitamente evitados. “São na maioria das vezes jovens de 18 a 25 anos, em plena fase produtiva da vida”, alerta.

Ficar atento na hora de entrar na água é um dos cuidados. O médico reforça ainda a importância de se conhecer bem o local, verificar antes de mergulhar se a profundidade é suficiente e se não existem bancos de areia ou pedras próximos ao ponto escolhido para o mergulho.

Outra situação que também chama atenção no pronto-socorro do Hospital João XXIII, da Rede Fhemig, nessa época das férias de verão são as quedas de laje ou terraços. O espaço, que se tornou uma extensão do quintal ou até mesmo espaço de lazer em muitas residências, também requer cuidado redobrado.

Vale reforçar a influência do uso exagerado de bebida alcoólica, que pode ajudar na perda de equilíbrio e consequente queda, geralmente de uma altura mínima de três metros. Um tombo sério que, de forma similar ao mergulho, pode matar ou trazer complicações motoras para o resto da vida.

A utilização da área por crianças é um ponto que requer atenção ainda maior. Por serem menores de idade elas ainda não desenvolveram plenamente o senso de equilíbrio e dimensão espacial. “No caso delas os traumas podem ser ainda mais graves ou letais”, reforça.

O neurocirurgião ressalta que em todos os casos de traumas é muito importante a mobilização do paciente. “Quanto menos se mexer na vítima melhor. Um movimento inadequado, por menor que seja, pode comprometer uma lesão que ainda teria como ser tratada e evitar danos maiores ao acidentado”, explica ele.

O ideal é chamar imediatamente uma equipe de resgate, seja do Corpo de Bombeiros ou Samu, ou um profissional da área. Outra orientação é deixar a vitima no chão em posição de decúbito dorsal, de barriga para cima, até a chegada dos especialistas.

O cuidado ao paciente vítima de trauma, muitas vezes, implica num atendimento multidisciplinar, indo além da equipe de enfermagem e médica do hospital. Dependendo da gravidade, o caso requer cuidado de fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos, entre outros.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Novo Plano Odontológico para o Servidor da Prefeitura Municipal de Feira de Santana


O servidor público municipal de Feira de Santana agora possui um novo plano odontológico, a Odonto S.A.

Com a Odonto S.A você tem:

* Facilidade no atendimento;
* Qualidade no tratamento odontológico;
* Planos com coberturas em ortodontia;
* Ampla rede de atendimento;
* Acompanhamento por especialistas;
* Planos apartir de R$ 10,00

Procure agora mesmo a Aliança Seguros e faça a sua adesão.

O que é Placa Bacteriana?


O que é Placa Bacteriana?Trata-se de uma película pegajosa e incolor, constituída de bactérias e açúcares que se forma sobre os dentes. É a principal causa de cáries e gengivite. Se não for removida diariamente, endurece e forma o tártaro.


Como saber se tenho placa bacteriana nos dentes?Todos nós temos placa bacteriana porque as bactérias estão sempre presentes em nossa boca. As bactérias aproveitam os nutrientes contidos nos alimentos que ingerimos e aqueles contidos na saliva para se desenvolver. A placa causa as cáries quando os ácidos que ela produz atacam os dentes, o que acontece após as refeições. Sofrendo esses ataques repetidos, o esmalte dos dentes pode se desfazer e abrir caminho para a formação de cáries. Não sendo retirada, a placa bacteriana pode também irritar a gengiva ao redor dos dentes, causando gengivite (as gengivas ficam vermelhas, incham e sangram), periodontite e perda dos dentes.


Como posso evitar a formação da placa bacteriana?É fácil evitar a formação da placa bacteriana. Basta você:


Escovar bem, no mínimo três vezes ao dia, para remover a placa bacteriana de todas as superfícies dos seus dentes.
Usar fio dental diariamente para remover a placa bacteriana que se instala entre seus dentes e sob a gengiva, onde a escova não pode alcançar.
Limitar a ingestão de alimentos com muito açúcar ou amido, especialmente aqueles que grudam nos dentes.
Visitar seu dentista regularmente para fazer limpeza e exame completo dos dentes.


Por: Colgate

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Estudo revela que obesidade em homens aumenta em 75% risco de ataque cardíaco


Estudo realizado pelo Centro de Pesquisa Cardivascular da Universidade de Glasgow, na Inglaterra, revelou que a obesidade nos homens aumenta em 75% o risco de ataque cardíaco, independente de terem ou não outros fatores de risco para o desenvolvimento da doença.

O estudo, que foi publicado hoje, dia 15, na Revista científica Heart acompanhou durante 15 anos 6.082 pacientes do sexo masculino que foram diagnosticados com colesterol alto, mas que não tinham histórico de doença cardíaca ou diabetes.

Durante o período do estudo, os pesquisadores observaram 214 mortes causadas por doenças cardíacas e 1.027 pacientes que sofreram ataque cardíaco e/ou acidentes vasculares que não resultaram em morte. Mesmo após a exclusão de variáveis relevantes, como idade e histórico de tabagismo, o risco de morte entre os homens obesos, com o Índice de Massa Corporal (IMC) entre 30 e 39,9, era 75% superior comparado a homens não obesos.

“Muitos pacientes ficam preocupados somente com os fatores de risco, como o diabetes e a hipertensão, porém esse estudo comprova que o grande problema para a saúde do coração é a obesidade. Os fatores de risco também são complicações que merecem atenção médica, mas temos que considerar em primeiro lugar a prevenção e o tratamento da obesidade, que é responsável pelo desenvolvimento das demais doenças”, destaca o cirurgião especialista em obesidade Dr. Roberto Rizzi.

A obesidade causa a expansão do átrio esquerdo e do ventrículo esquerdo, comprometendo a função cardíaca. O átrio esquerdo é responsável por receber o sangue rico em oxigênio dos pulmões e enviá-lo para o ventrículo esquerdo, que bombeia esse sangue para o corpo. “Temos vários estudos científicos que comprovam os danos que a obesidade causa para a saúde do coração. O alargamento do átrio esquerdo aumenta o risco de arritmia cardíaca e fibrilação atrial. A alteração no ventrículo esquerdo faz com que o coração utilize mais força para conseguir bombear o sangue, podendo causar insuficiência cardíaca. Ou seja, é mais uma constatação de que o excesso de peso é bastante nocivo para o coração”, diz Dr. Rizzi.

A obesidade afeta 205 milhões de homens e 297 milhões de mulheres, ou seja, 9,8% dos homens do mundo e 13,8% das mulheres. No planeta, 1,46 bilhão de adultos registram sobrepeso.

No Brasil, o problema atinge cerca de metade dos adultos em todas as regiões do país, com destaque para o Sul (56,8% dos homens e 51,6% das mulheres) e Sudeste (52,4% dos homens e 48,5% das mulheres). “A obesidade também é o segundo maior fator de risco evitável para o câncer, ficando atrás apenas do tabagismo. A obesidade está ligada ao desenvolvimento de 29% dos casos de câncer de útero nas mulheres e 20% dos tumores de esôfago entre os homens”, alerta Rizzi.

O levantamento do IBGE revelou ainda que a população de 20 anos ou mais, o sobrepeso no sexo masculino saltou de 18,5% em 1974/1975 para 50,1% em 2008/2009. No sexo feminino, o avanço foi menos intenso, e o número saltou de 28,7% para 48% no mesmo período. “A mudança de hábito é a grande culpada por esses números alarmantes que não param de crescer. Precisamos dedicar mais recursos para a prevenção da obesidade no país, ou em pouco tempo estaremos igual aos EUA em número de obesos”, conclui Dr. Rizzi.


(ABN NEWS)

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A contratação do jogador Ronaldinho tem seguro?


Depois de uma longa negociação com muitos percalços, o Flamengo anunciou nesta semana a contratação do jogador Ronaldinho Gaúcho por três anos e meio. O atleta, até então, pertencia ao clube italiano Milan.

Segundo informações do site Lancenet (www.lancenet.com.br/flamengo/Veloso_0_405559483.html), o clube deve desembolsar a equipe milanesa cerca de 3 milhões de euros (R$ 6,5 milhões), através de parcerias com outras empresas. O jogador deve receber cerca de R$ 1,2 milhão mensais. A negociação é considerada como uma das maiores já realizadas no Brasil.

Qual seria o seguro mais apropriado para proteger um grande jogador como este? Que tipos de seguros podem ser utilizados numa negociação como essa? Existe um produto com cobertura para o caso de um acidente ou um crime? Para tirar dúvidas como estas consulte o especialista de plantão no site www.tudosobreseguros.org.br.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Seguro // Dpvat pagou R$ 22,8 mi este ano

Nos primeiros oito deste ano, a Seguradora Líder responsável pelo pagamento o seguro Dpvat (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via errestre) pagou mais de R$ 22,8 milhões em indenizações, por morte, invalidez permanente e reembolsos de despesas hospitalares para 3.860 vítimas de acidentes de trânsito ou a seus beneficiários no Rio Grande do Norte. O seguro é um direito de toda a população e não necessita de intermediários para ser solicitado.

O Dpvat é obrigatório para quem tem veículos, e responsável por assegurar os danos pessoais de envolvidos em acidentes causados por automotores em vias terrestres. O seguro cobre casos de morte e invalidez permanente, e promove o reembolso das despesas hospitalares, desde que sejam comprovadas.

Segundo as informações do Sindicato dos Corretores do Rio Grande do Norte (Sincor), o própria vítima (em caso de morte um parente) pode dar entrada no pedido de indenização, sem necessitar de intermediários, como advogados.

No site do Dpvat está disponvível a documentação necessária para fazer a solicitação, assimo como, as seguradoras vínculadas à Líder em todos os estados. O Sincor também presta um serviço gratuito. "Recebemos a documentação e encaminhamos direto para a Líder. Aqui não recebemos mais procuradores. O processo é simples e o seguro sai geralmente em 30 dias", disse a diretora do departamento financeiro do sindicato, Marluce Bezerra.

A situações de morte de motoristas, passageiros ou pedestres geram uma indenização no valor de R$ 13,5 mil por vítima. Já nos casos de invalidez permanente ou parcial o pagamento pode ser de até R$ 13,5 mil. Esse número vai variar conforme a gravidade das seqüelas e com a tabela do Seguro de Acidentes Pessoais. O reembolso de despesas hospitalares é de até R$ 2,7 mil segundo a soma dos custos comprovados.

Janeiro a agosto de 2010: - Indenizações por morte: 448 casos / R$ 8.477.663,24 - Indenização por invalidez: 2.113 casos / R$ 11.337.823,00 - Reembolso de despesas médico-hospitalares: 1299 casos / R$ 2.995.277,00

Janeiro a maio de 2009: - Indenização por morte: 679 casos / R$ 12.146.210,00 - Indenização por invalidez: 2.115 / R$ 8.348.388,00 - Reembolso de despesas médico-hospitalares: 1.674 casos / R$ 3.577.422,00

Seguro em Pauta (Funenseg)

Guia de Boas Práticas para o Seguro Automotivo fortalece proteção ao consumidor e ao meio ambiente


A Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) lançou, no último dia 10, o Guia de Boas Práticas para o Seguro Automotivo. A proposta do documento é estabelecer recomendações que aprimorem as relações entre seguradoras, destas com os segurados, corretores, fornecedores, prestadores de serviços, setor público, órgãos de defesa do consumidor, órgãos de supervisão e controle, e que contribuam para a preservação do meio ambiente saudável.

Entre as orientações para empresas na relação com segurados, o Guia determina que as seguradoras mantenham o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) que forneça informações atualizadas sobre as etapas de aceitação, emissão, cobrança e regulação de sinistros. Entre as instruções também estão a rapidez e clareza nas respostas aos questionamentos dos segurados, sempre que possível no prazo máximo de cinco dias úteis (exceto nas situações em que as informações não dependam apenas da seguradora). Outra questão abordada é o fornecimento de informações claras, objetivas e precisas sobre o produto de seguro, coberturas, valor do prêmio a ser pago pelo segurado, limites de indenização, extensão e abrangência das coberturas contratadas, além dos mecanismos de resolução de problemas.

O Guia também traz sugestões práticas de combate à fraude, por exemplo, no que diz respeito à venda de peças e sucata. Para os veículos que renderam indenização integral a seus proprietários e que são irrecuperáveis, a orientação é que, após dar baixa na documentação do veículo no órgão de trânsito, as seguradoras devem vendê-los como sucata, obedecendo a uma das seguintes alternativas: fazer a marcação das principais peças dos veículos vendidos nessas condições, discriminando-as em notas fiscais; ou vender a sucata como matéria-prima para reutilização por parte da indústria siderúrgica.

Além dessas questões, o Guia também sugere que as seguradoras incluam nos contratos cláusulas que garantam o compromisso com a preservação ambiental. Na prática, isso significa mais rigor na avaliação do impacto gerado pelos fornecedores de peças e sobre as práticas adotadas pelas oficinas como o descarte de óleo e combustível.

“Para ter efetividade, a conscientização e aplicação das normas de responsabilidade socioambiental precisa ser estendida a toda a cadeia”, afirmou o presidente da FenSeg, Jayme Garfinkel, durante o lançamento do Guia, realizado na 2ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros, em São Paulo. As seguradoras também seguirão critérios rigorosos para avaliar a possibilidade de recuperação de um veículo acidentado. “Veículos antigos ou acidentados são mais sujeitos a estarem com a regulagem comprometida, e precisam de atenção redobrada para não excederem os níveis de poluição aceitos”, ressaltou.

Os interessados no Guia de Boas Práticas para o Seguro Automotivo podem ter acesso a todo o material através do site www.viverseguro.org.br.

Seguro em Pauta (Funenseg)

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Fio dental, memória e câncer


Gastar tempo e esforço no uso de fio dental pode ser um sábio investimento – não apenas para reduzir os riscos de doença gengival, doença cardíaca e derrame – mas também para proteger contra a perda de memória e câncer de cabeça e pescoço.

Pesquisadores da Faculdade de Odontologia de West Virginia estão estudando a ligação entre doença gengival e perda de memória.

Num estudo em andamento com pacientes com idades a partir de 60 anos, cientistas compararam os exames de saúde bucal dos participantes, seu desempenho num teste de memória e o exame sanguineo que mede o nível de inflamação para ver se a doença gengival está associada com a perda de memória. Homens e mulheres idosos que tiveram a menor pontuação no teste de memória – refletindo sintomas iniciais da doença de Alzheimer – apresentaram a maior associação com as bactérias causadoras de doença gengival.

"Isso pode ter grandes implicações na saúde das populações que estão envelhecendo", diz dr. Richard Crout, especialista em doença gengival e diretor associado de pesquisa da faculdade de odontologia. "Com as taxas de Alzheimer disparando, imagine os benefícios de se saber que manter a boca livre de infecção poderia diminuir os casos de demência".

Dr. Crout também teoriza que, no futuro, dentistas possam ser capazes de aplicar testes de memória nos pacientes mais idosos. Isso não apenas ajudaria a identificar pessoas com problemas de memória, mas também poderia ser capaz de mostrar aos dentistas se seus pacientes com higiene bucal e cuidados pessoais deficientes escolhem não seguir as instruções do dentista ou se a falta de escovação e fio dental deve-se à falta de memória.

Para examinar uma possível associação entre cânceres de cabeça e pescoço e doença gengival crônica, pesquisadores em Nova York examinaram 473 pacientes – 226 diagnosticados com carcinoma de célula escamosa de cabeça e pescoço e 206 pacientes de controle. A doença periodontal dos pacientes foi medida pela perda de osso alveolar (de mandíbula ou maxila) detectada em raios-X panorâmicos.

Cada milímetro de perda óssea nos pacientes estudados foi associado com risco aumentado de câncer de cabeça e pescoço. Embora alguns dos pacientes com câncer não tivessem usado tabaco ou álcool, o tabagismo e a doença periodontal aumentaram a associação dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço.

Os benefícios da escovação e do uso de fio dental regularmente vão além de uma boca saudável.

(ADA)

Seguradoras oferecem vantagens para seus clientes


Para atrair e fidelizar clientes, as seguradoras estão incluindo benefícios e serviços gratuitos para os usuários do seguro de automóveis. A Allianz Seguros oferece 15 dias de carro reserva grátis. Esta oferta é válida para novas apólices, fechadas ou renovadas a partir de março deste ano, em território nacional, desde que o consumidor utilize a rede de oficinas credenciadas da companhia.

O seguro oferece também as coberturas que já faziam parte do Allianz Auto, como colisão, incêndio, roubo e furto, responsabilidade civil facultativa e acidentes pessoais a passageiros, além de manter o guincho sem limite de quilometragem, serviços automotivos, troca de vidros, reparos residenciais e desconto na franquia no caso de se utilizar oficina credenciada.

Com o BB Seguro Auto, os clientes tem direito a benefícios que garantem maior segurança no trânsito. Na rede de lojas DPaschoal, o segurado obtém gratuitamente alinhamento de farol, análise da bateria, rodízio, calibragem e conserto de furos nos pneus, além de 50% de desconto nos serviços de alinhamento e balanceamento. Na rede Della Via, os benefícios são check-up gratuito de suspensão, freios e pneus, além de descontos em produtos da loja. Mais informações no site www.bbseguroauto.com.br

A Marítima Seguros também está incrementando os benefícios do Seguro Auto. Os clientes da seguradora passam a contar com oficinas referenciadas Sinistro Imediato Marítima (SIM), onde os reparos começam e o trâmite dos documentos ocorre a seguir. O segurado também pode escolher entre um desconto de 30% nas franquias (limitado a R$400) ou sete dias a mais de carro reserva.

SEGURO EM PAUTA (FUNENSEG)

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Novo tratamento promete eliminar cáries sem o uso de brocas


Procedimento sem dor utiliza substância chamada Icon
Dentistas alemães já estão usando um novo tratamento para cáries em estágio inicial, que não requer a utilização de brocas.


Dois terços dos alemães sentem-se incomodados ao sentar na cadeira do dentista. Um em cada oito pacientes sofre do que os dentistas do país classificam de uma fobia a tratamentos dentários, principalmente da broca. Mas uma boa notícia vem de Hamburgo: um novo procedimento chamado Kariesinfiltration, da empresa DMG, promete tratar cáries sem a utilização de brocas.

Mas ele pode ser usado apenas em alguns casos, como explica a diretora da DMG, Susanne Stegen. "O procedimento é eficaz no combate à cárie em estágio inicial, aquela que está no esmalte do dente e avançou no máximo até o primeiro terço da dentina. Tudo o que for mais profundo requer, infelizmente, a broca."

Normalmente o dentista tem duas opções de tratamento: na primeira ele faz uma aplicação de flúor no dente em questão e apela ao paciente para que tenha uma melhor higiene bucal. Depois é esperar para ver ser o pequeno defeito não se torna um buraco de verdade.

Ou então ele recorre logo à broca para eliminar a cárie ainda em estágio inicial. Nesse caso, porém, partes saudáveis do dente são eliminadas, como explica o dentista Ulrich Schiffner, da Clínica Universitária de Eppendorf . "Nesse caso o problema é que, em buracos que afetam apenas o esmalte do dente ou um pouquinho mais, é necessário primeiro retirar uma parte do dente para poder chegar até onde está a cárie."

Procedimento sem dor

Agora, o novo método oferece a possibilidade de preencher um buraco pequeno sem recorrer à broca e evitar a propagação da cárie para regiões mais profundas do dente. Primeiramente a camada mineral sobre a área defeituosa é eliminada com o uso de um gel, em seguida o novo material plástico, chamado de Icon, é aplicado ainda no estado líquido. Essa substância plástica penetra na matriz do esmalte, graças à capilaridade, e é então, como qualquer outro enchimento plástico, endurecida com luz.

O procedimento é voltado especialmente para cáries localizadas na região entre os dentes, mas também para pequenos defeitos em superfície lisa, como por exemplo em pacientes que usam aparelho.

Em toda a Alemanha existem aproximadamente seis mil profissionais que já aplicam o método Kariesinfiltration. O tratamento dura em média 20 minutos e custa entre 80 e 100 euros. O valor não é coberto pelos planos de saúde do país.

Os primeiros estudos clínicos com o Icon ainda não são conclusivos e baseiam-se, segundo Schiffner, num período de apenas 18 meses. "Esses estudos mostram que, em aproximadamente 75% das superfície dentárias tratadas, as cáries foram eliminadas." - (Ralf Gödde/DW-Word.De)

Abn News